MEL BOCHNER

Mel Bochner [nascido em 1940] é reconhecido como uma das principais figuras no desenvolvimento da arte conceitual em Nova York nos anos 1960 e 1970. Bochner tornou-se parte de uma nova geração de artistas que também incluíram Eva Hesse, Donald Judd e Robert Smithson - artistas que, como Bochner, procuravam maneiras de romper com o Expressionismo Abstrato e Tradicionais dispositivos composicionais. Sua introdução pioneira do uso da linguagem no visual levou o historiador de arte da Universidade de Harvard, Benjamin Buchloh, a descrever seus Desenhos de Trabalho de 1966 como "provavelmente a primeira exposição verdadeiramente conceitual".

Enquanto a pintura lentamente perdeu sua posição preeminente na arte moderna, a linguagem passou de falar sobre arte para se tornar parte da própria arte. Bochner tem investigado consistentemente as convenções tanto da pintura como da linguagem, a maneira como as construímos e compreendemos, e a maneira como elas se relacionam entre si para nos fazer mais atentos aos códigos não ditos que sustentam nosso engajamento com o mundo.