GUY BOURDIN

 

 Guy Bourdin foi um dos mais mais importantes fotógrafos de moda das últimas décadas, (1928, 1991).

Nascido Guy Louis Banarès, na França, o fotógrafo foi, quando pequeno, abandonado pelos pais e adotado pela família Bourdin. Seu primeiro contato com a fotografia se deu durante o treinamento militar na força aérea francesa.

Após deixar a vida de soldado, Bourdin retornou à Paris, e se apresentou para Man Ray. O artista veterano acolheu o jovem fotógrafo e o tornou seu protegido. Aliás, junto com Edward Weston, Man Ray influenciou de forma decisiva o trabalho de Bourdin, isso se percebe pelo estilo surrealista de sua obra.

Trabalhando na Vogue, de 1955 até 1987, o fotógrafo conheceu o estilista de sapatos Charles Jourdan, que o contratou para fotografar sua coleção. A parceria, que durou quase 15 anos, foi responsável pelos trabalhos mais marcantes do artista, que é tido como um dos responsáveis pela popularização e a glamorização do sapato de salto alto.

Bourdin percebeu que o bizarro e os temas proibidos atraiam a atenção, dessa forma, suas imagens apresentavam uma narrativa voltada para o sexo e a violência. O artista abordava esses temas de forma sofisticada e, por vezes, escandalosa. Suas modelos sempre se postavam de forma a parecerem vulneráveis, às vezes até mortas, e nunca encaravam a câmera. Essa característica garantia um caráter voyeur, como se as fotos fossem janelas para um mundo proibido de decadência, deslumbramento e futilidade.

O artista prezava pelo formalismo, suas imagens eram compostas de forma gráfica sempre com cores fortes e vivas. Ele também era conhecido pela crueldade com que tratava suas modelos

Apesar de não ter gozado da mesma fama de seus contemporâneos (Helmut Newton, Richard Avedon e Willian Klein), talvez pelo fato de ser avesso à exposições, Bourdin é um dos artistas que mais influenciou a fotografia de moda nos últimos tempos, entre seus admiradores estão David LaChapelle e Inez e Vinoodh.