ELSA SCHIAPARELLI

Elsa Schiaparelli (Roma, 1890 - Paris, 1973).

Nascida no Palazzo Corsini, Elsa era filha de um decano da Universidade de Roma e uma autoridade em sânscrito. Era sobrinha de Giovanni Schiaparelli, com o qual passou muito tempo estudando os céus. Estudou Filosofia na Universidade de Roma e nesta época, publicou um livro de poesia erótica que chocou sua conservadora família.

A Família Schiaparelli a enviou para um convento até que se declarou em greve de fome. Aos 22 anos aceitou um trabalho em Londres como babá. A viagem a Londres lhe deu sua primeira oportunidade no mundo da moda, ao ser convidada a um baile em Paris.

Passou o início de sua vida de casada nas cidades norteamericanas de Boston e Nova York e em 1920 mudou-se para Paris. Em 1928 abriu uma loja chamada Pour le Sport. Sua própria Maison, viria a ser lançada um ano depois (1929).

Contratou artistas plásticos e outros criadores famosos para criarem seus acessórios e tecidos, como por exemplo o grande pintor Salvador Dali e Jean Cocteau. Os movimentos artísticos do cubismo e do surrealismo tiveram influência sobre suas criações. Em 1933, introduziu a chamada manga pagode, influenciada pela moda egípcia, e os ombros largos que caracterizariam a moda até o chamado New Look.

Elsa Schiaparelli lançou broches fosforescentes, botões semelhantes a pesos, cadeados nos casacos, o tingimento de peles. Desenvolveu tecidos com estampas de jornal com os quais fazia lenços e bordava em suas roupas signos do zodíaco. Criou o tom de rosa que passou a chamar “rosa choque”.

Ao realizar a fusão de arte com moda, Elza Schiaparelli ofereceu as mulheres uma nova opção de vestir. Durante a Segunda Guerra Mundial proferiu palestras nos Estados Unidos e em 1949 abriu uma loja filial em Nova York. Realizou seu último desfile em 1954, vindo a falecer em 1973.